Navegar / buscar

Criando um Pen Drive quase perfeito

Disquetes, CDs e DVDs já tiveram seus “cinco minutos” de fama na era digital, nesse período o armazenamento de dados em meios portáteis era uma tarefa nada prática, e o espaço disponível para uso era quase sempre menor do que a necessidade do usuário.

Mas como as mudanças são muito rápidas nesse segmento, logo surgiu uma sigla que mudaria tudo: USB – Universal Serial Bus, sua popularização trouxe consigo a popularização das memórias flash, usadas em dispositivos portáteis de grande capacidade de armazenamento como os pendrives, que ganharam espaço e hoje são referência na portabilidade de informação. Além de ocuparem pouco espaço e poderem ser colocados até mesmo em souvenires como chaveiros, a transferência de dados é rápida, natural e não requer nenhum software especial de gravação.

Essa mobilidade e acessibilidade toda têm seus pontos fracos: Vulnerabilidade a vírus e a softwares maliciosos, cópia não autorizada de informações confidenciais e a perda de dados por esquecer o pendrive não identificado em locais públicos (Veja o texto achei um pendrive).

Ao copiar para o pendrive arquivos que você baixou em um computador de uso público como em lan houses e escolas, você pode levar para casa algumas pragas virtuais nada desejáveis, como vírus, trojans, spywares e outros tipos de malware, que podem causar danos ou roubar informações disponíveis no seu computador, como informações de sua conta bancária ou cartão de crédito.

O ponto fraco dessas pragas virtuais e que quase sua totalidade só infecta o diretório raiz, aquela primeira janela que aparece quando você clica na letra correspondente ao dispositivo para abrir, ou quando é aberto automaticamente pelo sistema.

Sendo assim, bloquear a raiz do pendrive contra escrita e deixar somente uma pasta com permissão de gravação para que possa guardar seus arquivos é uma simples e eficaz proteção.

Para fazer isso siga os passos:

– Abra o Windows Explorer e clique com o botão direito do mouse sobre a letra correspondente ao seu pendrive, escolha a opção formatar no “Menu suspenso” e clique em “SIM” para confirmar a operação.

ATENÇÃO: lembre-se de copiar seus arquivos importantes para o HD do computador, pois eles serão apagados na formatação!

Criando um pendrive quase perfeito - formatando

– Clique em Iniciar > Executar > digite “convert X: /fs:ntfs” sem as aspas, onde X: é a letra correspondente ao seu pendrive, então substitua o “X” de acordo com seu caso.

– Crie um conjunto de arquivos como o descrito no texto “achei um pendrive” ou baixe o conjunto pronto, pelo sistema PagSocial.

– No Windows Explorer, menu “Ferramentas” >> “Opções de pasta…”, clique na aba “Modos de exibição”, puxe a barra de rolagem que tem no meio da janela até o final, desmarque a opção “Usar compartilhamento simples de arquivo (recomendável)” e clique em OK.

Criando um pendrive quase perfeito - Compartilhamento e Segurança

– Volte ao pendrive e com o botão direito do mouse clique sobre a letra correspondente e escolha a opção “Compartilhamento e segurança” clique na aba “Segurança” e remova todos os “Nomes de grupos ou usuário” existentes, em seguida clique no botão adicionar (vai abrir uma nova janela) digite “Todos” e clique OK. Ao retornar a janela anterior, deixe selecionado somente à opção de Permitir “Leitura”.

Criando um pendrive quase perfeito - Compartilhamento e Segurança

– Vá ao pendrive, clique com o botão direito do mouse sobre a pasta criada por você (MeusDocs), escolha a opção “Compartilhamento e segurança” clique na aba “Segurança”, selecione todas as opções de permitir e clique em OK.

– Clique novamente com o botão direito do mouse sobre a letra correspondente a seu pendrive e escolha a opção “Compartilhamento e segurança” e na aba “Segurança” confira se está habilitada somente a opção de “Permitir – Leitura”, em caso afirmativo, seu pendrive está pronto.

Criando um pendrive quase perfeito – Aba segurança

O procedimento realizado transformou o sistema de arquivo FAT32 do seu pendrive em NTFS (New Technology File System), com isso habilitou o sistema de segurança disponível para esse sistema de arquivo; Liberou uma pasta para armazenar seus dados e limitou o acesso ao “diretório raiz” para somente leitura.

Qualquer tentativa de copiar algo para a raiz do seu pendrive será impedida, impedindo inclusive vírus e/ou outros softwares maliciosos se auto copiar para o “diretório raiz” do pendrive, é claro que alguns vírus mais elaborados podem liberar esse acesso, nesse caso encontrarão uma segunda barreira que é o conjunto de pastas com o nome autorun.inf

Para driblar o sistema de segurança e ficarem camufladas essas pragas virtuais normalmente têm que ser minúsculas, essa limitação de tamanho restringe seu código ao essencialmente necessário, assim elas não conseguem desativar tantas barreiras. De agora em diante poderá “espetar” seu pendrive em qualquer máquina sem a preocupação de infecção por esse tipo de vírus.

Mas é claro que nada é perfeito, assim poderá eventualmente encontrar alguma praga mais elaborada que quebre essa segurança. Pode acontecer também de você copiar algum arquivo infectado para a pasta liberada, mas nesse caso ele só será executado quando alguém clicar nele e não de forma automática como aconteceria se estivesse no “diretório raiz”.

Criando um pendrive quase perfeito - Extrutura Pronta

Deixe um comentário

nome*

email* (não publicado)

website