Navegar / buscar

Achei um PenDrive

“Alguém esqueceu esse pendrive no computador”.
Essa é uma frase corriqueira no meu local de trabalho, corriqueiro também é não ser possível identificar o proprietário do dispositivo para fazer a devolução.

Diretório raiz de um pendreive esquecido
Conteúde de pasta de um pendrive esquecido

Deduz-se que a pessoa que perdeu o pendrive (letra G:) das duas imagens acima tem “ju” no nome e nada mais, nenhum arquivo com seu nome e nas imagens ali contidas também não havia ninguém conhecido, esse dispositivo continua até essa data aguardando ser resgatado.

Quando se perde um pendrive, a grande perda não está no dispositivo em si, pois atualmente seu preço é razoavelmente baixo, mas nos dados ali contidos, principalmente se não tiver aquilo que quase ninguém faz: Uma cópia de segurança (veja como é fácil ter a sua no texto sobre o dropbox que publiquei recentemente).
Neste caso é rezar para que aquela pessoa que achar se disponha a devolvê-lo, mas aí esbarramos em outra dificuldade: Como devolver se praticamente ninguém identifica de modo apropriado o seu dispositivo de armazenamento em massa?

Uma solução extremamente simples e que aumentam as chances de recuperar seus preciosos arquivos, mas que poucos utilizam é ter no diretório raiz do pendrive (Diretório é o mesmo que pasta, e raiz, como dá pra deduzir é a principal, primeira, primordial, da qual outras pastas vão sair) um arquivo de texto (extensão .txt) com um título sugestivo como “_Se você encontrou esse pendrive Leia-me”.
Esse arquivo deve conter os dados para contatar o proprietário em caso de extravio e até um possível valor estipulado para a recompensa, se os dados forem muito importantes.
O “underline” no início do nome do arquivo serve para posicionar o mesmo no início da relação de arquivos, se houver.
Abaixo a imagem da “árvore” de um pendrive que foi devidamente estruturada para proteger e facilitar a identificação do mesmo em caso de perda.

Organização ideal para arquivos em um dispositivo de armazenamento em massa

Do lado direito da imagem vemos duas pastas e dois arquivos. A pasta MeusDocs é usada para guardar todos os arquivos, evitando assim a poluição visual da raiz do pendrive. Os dois arquivos de texto têm títulos auto explicativos. A pasta “autorun.inf” está aí apenas como uma simples proteção contra a maioria dos vírus que atacam esses dispositivos, ela deve ter a extensão “.inf” igual a do arquivo autorun.inf e deve conter sub pastas, no mínimo quatro, e dento da última deve conter um arquivo “autorun.inf” que é o alvo dos vírus pois esse arquivo é usado para informar ao sistema operacional o que deve ser executado automaticamente. Essa arquitetura impede o vírus de instalar seu arquivo “autorun.inf” na raiz com os comandos necessários à sua execução/propagação.

Depois de criar essa estrutura, selecione a pasta “autorun.inf” e o arquivo “_Não delete a pasta autorun.inf”, clique com o botão da direita em cima deles, na caixa suspensa, clique na última opção “Propriedades” e marque as opções “Somente leitura” e “Oculto”, clique em “Aplicar” e em seguida em “OK”. Dessa forma quando alguém abrir o pendrive e o computador estiver com suas configurações padrão ativadas, verá apenas uma pasta e um arquivo de instrução como na imagem abaixo.

Organização ideal para arquivos em um dispositivo de armazenamento em massa

Uma medida simples assim protege relativamente seu pendrive das duas ameaças mais frequente: vírus e o extravio.
Baixe o arquivo .zip contendo essa estrutura pronta, sendo necessário apena a inclusão de seus dados pessoais no arquivo “_Se você encontrou esse pendrive Leia-me”. O download é realizado pelo sistema PagSocial no botão do final do texto
No próximo texto você aprenderá como criar um “pendrive quase perfeito”.

Deixe um comentário

nome*

email* (não publicado)

website